Conheça a história de bell hooks, uma das maiores escritoras do feminismo negro.

julho 10, 2020



Colagem em homenagem à Bell Hooks por Maria Rosa



bell hooks, (Gloria Jean Watkins), é uma autora, professora, teórica, artista e ativista social americana. Em 25 de Setembro de 1952, de uma pequena cidade chamada Hopkinsville, nascia uma das principais teólogas do feminismo, pedagogia, e da interseccionalidade de gênero, raça e capitalismo. 

 

Em sua infância, foi criada com dificuldade por uma família da classe trabalhadora. Seu pai um guarda e sua mãe, dona de casa. Na cidade onde morava estudou em uma escola pública para pessoas negras, pois nos EUA ainda vigorava a lei de Jim Crow, de segregação racial. 

 

Na adolescência, quando passou para uma escola integrada, viveu o racismo na pele, por ser uma minoria onde a maior parte dos alunos e professores eram brancos. Terminou seus estudos na Hopkinsville High School, no Kentucky, e obteve sua primeira graduação em inglês na Universidade de Stanford em 1973 e seu mestrado em inglês pela Universidade de Wisconsin-Madison em 1976. 

 

Sua carreira como professora começou em 1976 como professora de estudos étnicos na Universidade da Califórnia. Após três anos de atuação, lançou seu primeiro livreto de poemas intitulado "And There We Wept", com autoria dada ao seu pseudônimo, "bell hooks". 

 

Bell Blair Hooks era o nome de sua bisavó materna. A autora afirma que escolheu homenageá-la devido a seu jeito áspero e imponente de se comunicar, algo que ela sempre admirou. Mas uma curiosidade é que o seu nome como autora é escrito em letras mínúsculas: "bell hooks", segundo a própria, é para distanciar seu pseudônimo da grandeza de sua bisavó e também para dar foco ao conteúdo do livro e não a quem escreveu.

 

Durante os anos 1980-1990, foi professora em diversas universidades renomadas, como Santa Cruz, Universidade de San Francisco, Yale e etc. Em 1981, lançou sua maior obra: "E eu não sou uma mulher?: Mulheres negras e feminismo", escrito na época de sua faculdade e que discute o impacto do racismo e sexismo na vida de mulheres negras, o sistema educacional, a ideia de supremacia e patriarcado branco, a marginalização de mulheres negras e discussões de raça e classe dentro do feminismo.

 

bell hooks publicou mais de 30 livros citando tópicos sobre homens negros, patriarcado e masculinidade como forma de proteção, sexualidade, a capacidade de amar comunidades para superar as desigualdades de raça, classe e gênero, feminismo negro, pedagogia, tendo como uma de suas principais referências nesta área o pedagogo brasileiro Paulo Freire.

 

Por suas obras, foi vencedora do American Book Awards de 1991, considerado um dos maiores prêmios da literatura, foi considerada em 1992 pela Publishers Weekly com sua obra "E eu não sou uma mulher?" um dos mais influentes livros escritos por mulheres dos últimos 20 anos, ganhou o prêmio de livro infantil do ano de 2002 pela The Bank Street College, com o livro "Homemade Love", entre outros. 

 

Agora confira e aproveite para ler mais tarde algumas das obras de bell hooks: 

  • O feminismo é para todo mundo: Políticas arrebatadoras

  • Olhares Negros. Raça e Representação

  • E eu não sou uma mulher?: Mulheres negras e feminismo

  • Ensinando a transgredir: A educação como prática da liberdade

  • Teoria Feminista - Da Margem Ao Centro

  • Educação contra a barbárie: Por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar

 

Gostou de conhecer a história dessa mulher incrível? Aproveite e conheça outras histórias de mulheres de luta.


Referências: 

https://www.notablebiographies.com/He-Ho/Hooks-Bell.html

 

https://editoraelefante.com.br/quem-e-bell-hooks/

https://oglobo.globo.com/cultura/livro-de-bell-hooks-da-nova-orientacao-para-feminismo-24292607

 

Leia nossos últimos posts:

 


Você também pode gostar

0 comentários

Posts Populares